quarta-feira, 19 de novembro de 2014

#dia183

Há graça para os que são imperfeitos

"E Ele me disse: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. Por isso, de boa vontade antes me gloriarei nas minhas fraquezas, a fim de que repouse sobre mim o poder de Cristo." II Coríntios 12:9
Como eu já falei em alguns posts anteriores eu estou em uma fase em que tenho me deparado bastante com a minha própria sombra que são as minhas falhas de caráter, minhas desculpas próprias, meus erros, etc… E diante da consciência de minha própria sombra eu entendi que tenho duas opções: a primeira seria assumir uma postura religiosa e acusadora de auto-condenação que me levaria a um espírito de auto-comiseração, por não conseguir ser perfeita, ou a segunda seria eu assumir a minha dependência total de Deus para vencer o que de pior há em mim, pois só a força que vem Dele é capaz de me ajudar a vencer o que é maior do que eu. E que mesmo na minha melhor ou pior fase eu ainda vou continuar precisando desesperadamente da graça, da misericórdia, do perdão e do amor Dele sobre a minha vida. Eu escolhi me abrir para a graça de Deus, pois só na infinita graça Dele conseguirei perseverar até o fim.
Segue trecho do livro Evangelho Maltrapilho, que fala algo a respeito: 
“Quando sou honesto, admito que sou um amontoado de paradoxos. Creio e duvido, tenho esperança e sinto-me desencorajado, amo e odeio, sinto-me mal quando me sinto bem, sinto-me culpado por não me sentir culpado. Sou confiante e desconfiado. Honesto e ainda assim insincero… Viver pela graça significa reconhecer toda a história da minha vida, o lado bom e o ruim. Ao admitir o meu lado escuro, aprendo quem sou e o que a graça de Deus significa. Como colocou Thomas Merton: Um santo não é alguém bom, mas alguém que experimenta a bondade de Deus.” (pg. 25)
Paz,

M.S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário