sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

#dia227

A finitude revela a urgência 

“O homem é semelhante à vaidade; os seus dias são como a sombra que passa.” Salmos 144:4
O primeiro dia do ano começou trazendo a expectativa de um ano de muitas mudanças boas para mim mas trouxe também, logo pela manhã, a dor da perda de uma pessoa muito querida. Bem no primeiro dia do ano alguém que era conhecida por ser uma mulher cheia de vida e de alegria morreu! 
O dia do calendário mais conhecido pela esperança de algo novo já foi logo marcado por uma perda irreparável. Isso me faz pensar quão frágeis somos e quão finita essa vida é. A finitude da vida revela a urgência de sentido, do reconciliar-se diariamente com Deus e com Seus propósitos. 
Quando nos deparamos com a morte de alguém próximo de frente não tem como não pensarmos em nós mesmos e como queremos e escolhemos viver. A morte nos faz pensar. E para nós que cremos em Cristo sabemos que a morte não é o fim mas, apenas o começo de uma vida eterna com Deus. 
O que a morte me ensina hoje é que a finitude revela a urgência de viver cada dia na maior intensidade possível e cumprir tudo o que Deus tem para mim e através de mim; sendo luz ao mundo, amando a Deus acima de todas as coisas e amando ao meu próximo como a mim mesma. Que Deus me e nos ajude nessa missão!
Paz,

M.S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário